Metodologias e Standards

 

 

CMMI
ITIL
COBIT
TOGAF
CMMI

A arquitectura do modelo CMMI compreende três domínios de interesse:

  • Desenvolvimento
  • Aquisição
  • Serviços

A “framework” CMMI descreve o que as organizações de desenvolvimento de software ou de prestação de serviços deverão realizar. Tem uma natureza descritiva e não prescritiva. O modelo CMMI-DEV pode ser representado por fases (etapas) ou continuamente; ambas as representações contêm as mesmas áreas processuais.

CMMI para Desenvolvimento (CMMI-DEV) é um modelo “de facto” para empresas que procuram um referencial comparativo ou a melhoria da sua prática de desenvolvimento de software.

CMMI para Aquisição (CMMI-ACQ) que compreende primordialmente os processos de gestão, e “outsourcing” da cadeia de fornecimento para o sector público e para a indústria.

CMMI para Serviços (CMMI-SVC) é um modelo alinhado pelas práticas da indústria destinado às empresas que procuram a melhoria das suas competências de prestação de serviços.

O CMMI deve ter uma função orientadora e não impositória. Não implica um modelo específico de organização, nem um conjunto de métodos ou ferramentas de desenvolvimento. Disponibiliza sim uma “framework” em que cada modelo, método ou “tool” pode ser “vivido”.
ITIL
A “framework” ITIL (Information Technology Infrastructure Library) pode considerar-se como um conjunto de práticas recomendadas para a prestação dos serviços de IT em termos da respetiva operação, melhoria contínua, desenho, transição e estratégia dos processos inerentes.

Independentes dos modelos operativos das organizações e provadas no mundo real corporativo, as práticas ITIL são importantes na entrega de valor, estruturação de competências e na integração organizacional, possibilitando uma convergência funcional entre os processos de gestão do serviço, pessoas e tecnologia.

Um dos serviços específicos prestados centra-se na construção duma CMDB (Configuration Management Database).

A Prime Alliance apresenta uma experiência sólida em projectos de gestão de operações de Data Center e na definição de modelos de prestação de serviços de IT, e disponibiliza serviços de desenvolvimento e implementação de processos de gestão do serviço (gestão de incidentes, gestão de problemas, gestão de configurações, gestão de “releases”, gestão de capacidades, gestão de alterações, gestão de disponibilidade, gestão do nível de serviço, “reporting, ....) elaborando por exemplo os respectivos manuais de operação, os modelos de aferição de métricas ou a implementação de OLA/SLA.
COBIT
A “framework” COBIT (Control Objectives for Information and Related Technology) é uma “framework” de “governance” da informação empresarial e da tecnologia associada, internacionalmente aceite, cujo propósito é o de permitir às organizações controlarem e gerirem os seus objectivos de gestão de IT criando valor através dum equilíbrio entre a realização de benefícios, a gestão do risco e o balanceamento de recursos.
Fundamentada na função central da realização de valor pela informação e pela tecnologia, a “framework” é composta por um conjunto de princípios, práticas, modelos e ferramentas analíticas, ajustáveis às diferentes realidades organizacionais e fundamentais na manutenção da qualidade da informação, realização da estratégia de negócio através de IT, optimização de custos de serviços e tecnologia, controlo de um nível aceitável de risco relacionado com IT e no cumprimento da conformidade regulatória, legislativa e contratual.
Capitalizando o seu conhecimento e experiência na “governance” de IT em sectores de actividade como a indústria financeira, “utilities”, administração pública, telco e “oil and gas” a equipa Prime Alliance disponibiliza diversos serviços que compreendem diagnósticos de maturidade da função de governance, implementação de modelos de “governance”, elaboração de planos estratégicos de infraestruturas tecnológicas e de sistemas de informação, modelos de controlo de risco e de gestão orçamental ou definição de metodologias de gestão de portfólio.
TOGAF
TOGAF é o standard de referência de mercado para a prática de “enterprise architecture”, a principal “tool” disponível para leaders empresariais que trabalham na transformação contínua do seu negócio. De acordo com a aproximação TOGAF, a arquitectura não é apenas um tema ou problema relativo ao domínio de IT mas um assunto que concerne a todas as funções e competências organizacionais.
A “framework” fundacional foca-se no método de transformação da arquitectura em todas as suas dimensões (negócio, organização e sistema de informação…) e compreende os quatro principais domínios arquitecturais (negócio, dados, aplicações, tecnologa) garantindo o alinhamento estratégico entre a dinâmica do modelo de negócio e o sistema de informação que o suporta e a comunicação entre executivos, gestores séniores e especialistas de IT.
A experiência da equipa da Prime Alliance em projectos de arquitectura, a formação dos seus profissionais em TOGAF e a utilização deste standard em colaboração com outros standards de referência no domínio da modelização (UML, BPMN, Archimate.…) constituem uma garantia do valor deste serviço no desenvolvimento da prática da “enterprise architecture”, integrando as diferentes áreas (negócio, sistemas, técnica) no próprio processo arquitectural e reforçando a importância da sua função corporativa.