Gestão de Processos

Numa economia global em que os modelos de negócio se alteram continuamente, para ajustamento às variáveis endógenas e exógenas, a redefinição das cadeias de valor das organizações ocorre continuamente requerendo uma natureza adaptativa e dinâmica dos processos constituintes.

Os serviços de consultoria disponibilizados pela Prime Alliance neste domínio fundamentam-se no capital de conhecimento adquirido em diferentes sectores de actividade e na sua experiência na utilização de “tools” de análise de processos e de mercados.

A oferta de serviços ancora num “assessment” inicial à cadeia de valor do negócio e estrutura-se no desenvolvimento de “deliverables” de melhoramento dos processos, sempre em alinhamento com o ciclo de oportunidade de introdução das tecnologias digitais.

Gestão de Processos de IT

Alinhar a tecnologia com o negócio

A Gestão de Processos de IT é composta por um conjunto de atividades relacionadas com o planeamento e monitorização de processos de gestão e controlo dos serviços oferecidos pelo IT.

O objetivo primário da Gestão de Processos de IT é compreender e optimizar os processos, incluindo a revisão do contributo das ferramentas e software utilizadas.

Este tipo de trabalho é nuclear em qualquer abordagem a sistemas e serviços orientados ao negócio e deve ser avaliado ao mais alto nível executivo.

Os analistas de negócio, dentro da Gestão de Processos de IT, têm como objectivo rever os métodos e práticas, garantindo que as ferramentas cobrem as necessidades dos seus clientes (internos ou externos).

Como parte do processo de IT process management, os gestores técnicos têm como missão manter-se informados relativamente às novidades e melhorias dos software e produtos, como estarem atentos às melhores práticas que tem vindo a consolidar-se.

A importância da Gestão de Processos de IT

As organizações, numa tentativa de redução de custos, criam pressão sobre o IT que deve / tem de continuar a oferecer um determinado nível de serviço.

Contudo a eliminação simples de consultores ou redução do head count tem um efeito imediato financeiro, mas falha no médio prazo.

 

 

A necessidade do IT continuar a fornecer valor ao negócio é cada vez maior, pelo que a necessidade de novos modelos e novas tecnologias é fundamental.

Com o aumento da efetividade dos processos internos do IT, as organizações conseguem melhor adaptar-se às contínuas mudanças do negócio e alinhar as tecnologias às suas necessidades.

A criação de um processo formal de melhoria, tem permitido às organizações obter ganhos no curto prazo e consolidá-los no médio e longo prazo.

Quando há alinhamento, as melhorias passam pelo aumento da eficácia da atuação das equipas, através do seu foco em atividades críticas levando a uma diminuição do TCO global e a uma melhoria das relações com clientes.

A aquisição de ferramentas de gestão, monitorização e controlo, se não forem acompanhadas da definição dos respetivos processos normalmente ficam subaproveitadas ou mesmo sem utilização.

As ferramentas de monitorização e de análise são fundamentais mas quando alinhadas com os processos de negócio. As métricas obtidas cegamente, sem alinhamento, deturpam a visão da eficácia e levam a tomadas de decisão desadequadas.

Automatizar métricas sem definir o seu contributo para os processos

A tentação de automatizar e monitorizar utilizando software e ferramentas dos sistemas é cada vez maior. Contudo, nem todas as medições contribuem para uma melhoria do processo global. A pressão sobre a redução de custos, leva a confundir o software com o processo, criando falsas economias e afastando dos objectivos do negócio as práticas de IT.

 

Manter a vantagem competitiva

As organizações para manterem um elevado nível de competitividade através do investimento em novas tecnologias e métodos mais ágeis, e simultaneamente manterem o foco nas actividades com maior retorno, têm que ser capazes de analisar o valor de cada processo. A definição de arquitecturas e serviços de IT ao serem consubstanciadas por processos que enquadram métodos, ferramentas e software criam uma realidade complexa que deve ser analisada e optimizada,  permitindo a definição de prioridades e metas.