Análise de Maturidade

Maturity Analysis

A Prime Alliance entende como fundamental para o modelo de “demand and suply” inerente às unidades organizacionais de IT, a realização periódica de análises situacionais das respetivas capacidades e competências, no sentido de determinar o estado referente e definir o “roadmap” evolutivo para níveis de maturidade desejáveis face às práticas (“benchmarking”) de mercado.

 

A Prime Alliance constituíu um conjunto inicial de serviços que funciona como um referencial de aconselhamento e potenciador da definição de novos projectos e iniciativas de IT.

Infraestrutura “Core”


A análise de maturidade da infraestrutura “core” duma organização compreende a avaliação situacional das capacidades e “workloads” nucleares referentes

Data Center
Identidade e segurança
Processos e Conformidade
Elaboração de “Deliverables”

Infraestrutura Colaborativa

A análise de maturidade da infraestrutura colaborativa duma organização compreende a avaliação situacional das capacidades e “workloads” nucleares referentes

Criação de conteúdos

“Authoring”, suporte multi-dispositivo, interoperabilidade, acesso de utilizador

Colaboração

workspaces, portais, computação social e gestão de projectos

Comunicações unificadas

“messaging”, “instant messaging”/presença, “conferencing”, voz

Gestão de conteúdos empresariais

Gestão da informação, eficiência de processos, conformidade e descoberta

“Search” empresarial

Acesso a informação, navegação e experiência interativa

“Reporting” e análise

“Dashboards”, “Analytics and Data Mining”, geração e distribuição de relatórios

Práticas de Arquitectura

(EA- Enterprise Architecture)

A análise de maturidade das práticas arquitecturais duma organização compreende a avaliação situacional das áreas de administração planeamento (gestão de programa e de projecto), frameworks e “tools” utilizadas (standardização de processos, relação com desenvolvimento), “blueprint” (artefactos), comunicação (comunicação da prática e do valor referente) conformidade (processo de conformidade da EA), administração (integração com o processo de planeamento) e “stakeholders” (envolvimento organizacional interno), a consequente comparação com os níveis de maturidade de concorrentes e indústrias e a elaboração de “reporting” com recomendações de actuação e um plano geral de evolução.

Processos de Operação

A análise de maturidade dos processos de gestão dos serviços de IT numa organização compreende o desenho “As Is” dos principais processos de entrega e suporte (numa correspondência com os domínios de operação, desenho e transição numa orientação ITIL) do “Data Center” duma organização (gestão de problemas, gestão de eventos, gestão de incidentes, gestão de pedidos, gestão de acessos, gestão de alterações, gestão de configurações, gestão de “releases”, gestão de capacidades , gestão da disponibilidade,...) e a elaboração dum modelo “To Be” que define as ações de mudança (“owners”, processos / actividades constituintes, contexto, “tools”) a efetuar no sentido de alcançar um nível de maturidade desejável e alinhado pelas melhores práticas de mercado.